2

Alenquer comemora 130 anos de elevação à categoria de cidade.

       Os alenquerenses estão em festa, pois no dia 10 de junho Alenquer completa 130 anos de elevação à categoria de cidade.
       Analisando a história da fundação da cidade percebemos que ela é marcada por um forte vinculo religioso e por lutas épicas contra adversidades naturais, fatores esses que moldaram a persistência e o caráter do povo ximango, tão característicos nos dias atuais.
       Alenquer foi fundada no ano de 1729, pelos padres portugueses da congregação Capuchos da Piedade (franciscanos da Província de Nossa Senhora da Piedade) que, com o auxilio dos índios Barés ou Abarés, construíram uma aldeia um pouco acima da foz e ao lado direito do rio Curuá, e a denominaram Arcozelos, em homenagem a uma freguesia portuguesa do mesmo nome.
     Devido o local ser sezonático e as dificuldades de abastecimento, comunicação, e transporte, que acabavam por se agravar no verão pela falta de água nos dois estreitos canais que atravessam o Lago Grande, também denominado Itandua, e vão até a foz do rio; os franciscanos resolveram mudar a sede da catequese para um lugar mais farto e sadio.
      Fixaram-se, então, à margem esquerda do rio Surubiú, na confluência do rio Itacarará e, com o auxilio de índios “domesticados” do Trombetas, os catequistas formaram uma aldeia e a denominaram Surubiú.
      No ano de 1759, Francisco Xavier de Mendonça Furtado - irmão do Marquês de Pombal e governador-capitão do Pará e Rio Negro -, precisou subir o rio Amazonas até a Província do Rio Negro (hoje Estado do Amazonas) para conferenciar com o plenipotenciário espanhol sobre a demarcação dos limites de terras das coroas de Portugal e Espanha, e aproveitou a viagem para visitar as povoações ribeirinhas.
     Baseando-se na Carta-Régia de 6 de junho de 1755, que lhe outorgava poderes de elevar à categoria de Vila as povoações que julgasse em condições de merecer, Francisco Furtado concedeu à aldeia de Surubiú o título  de Vila e o topônimo de Alenquer.
     Em 1833, o então governador da Província do Pará, José Joaquim Machado de Oliveira, retirou de Alenquer o predicamento de Vila e anexou todo o seu território ao Município de Santarém, que nesse tempo era “cabeça do termo”.
   Os alenquerenses, representados por membros da Câmara Municipal de Alenquer formalizaram inúmeros protestos e, em 1848, Jerônimo Francisco Coelho, governador da província, pela Lei nº 140, de 23 de junho, restaurou o título de Vila à Alenquer.
       Em 10 de junho de 1881, pela Lei n° 1050, o governador Manoel Pinto de Sousa Dantas Filho, elevou Alenquer à categoria de Cidade.
Fonte: IBGE

Obs: para informações mais profundas sobre a história da cidade clique AQUI.

2 Comentários:

Prof. Adinalzir

Olá, Prof. Jefferson!
Gostaria de deixar aqui os meus parabéns pelo aniversário da cidade de Alenquer. Já virei um seguidor do seu blog. Visite também o Saiba História. Minhas saudações a todos!

Jefferson Silva

Prof. Adinalzir,
Obrigado por seguir o meu blog. Também já estou seguindo o seu, pois como você, eu também gosto muito de história.
Abraços.

Postar um comentário

 
Todos os direitos reservados © Fazendo História
© Template por
Mundo Blogger